Pesquisa confirma arrancada de Lapas 13

2 de outubro de 2012 nenhum comentário
Cresce intenção de votos em Lapas
Cresce intenção de votos em Lapas

Cresce intenção de votos em Lapas

Faltando apenas cinco dias para as eleições, o Diário da Região encomendou junto ao Instituto Sebram pesquisa de intenção de votos para a prefeitura de Osasco. O levantamento oficial foi registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP 01356/2012.

O levantamento listou o nome dos seis candidatos – Celso Giglio (PSDB), Jorge Lapas (PT), Osvaldo Verginio (PSD), Delbio Teruel (PTB), Alexandre Castilho (PSOL) e Reinaldo Mota (PMN).

Na pesquisa estimulada, com a pergunta: “se a eleição para prefeito fosse hoje em qual desses candidatos você votaria?”, Celso Giglio aparece com 38,17% dos votos. Jorge Lapas ficou em segundo lugar, com 24,50%. Osvaldo Vergínio vem em seguida, com 14,33% das intenções de voto. Délbio Teruel aparece em quarto lugar, com 4,50% das indicações. O candidato Reinaldo Mota registrou 1,0% da preferência do eleitorado, enquanto que Alexandre Castilho aparece em último lugar, com 0,83% das indicações. Um total de 9,50% afirmou não saber em quem votaria ou não quiseram opinar. Já 7,17% dos entrevistados declararam votar em branco ou nulo. A margem de erro é de 5%. Mantidos esses resultados, Osasco poderá ter segundo turno.

A pesquisa ouviu 600 pessoas, com mais de 16 anos residentes na cidade, tem intervalo de confiança de 95,5%. Os dados foram coletados entre os dias 27 e 29 de setembro. Foi adotado o sistema de amostragem de probabilidade de áreas em estágios sucessivos em residências de todos os bairros.

Dentre os entrevistados 50,67% são mulheres e 49,33% são homens. Uma parcela de 8,0% tem entre 16 e 20 anos; 25,17% entre 21 e 30 anos; 31,50% entre 31 e 40 anos; 23,50% entre 41 e 50 anos; 9,83 % entre 51 e 65 anos e 2,0% têm mais de 65 anos. Um total de 38,50% possui o 1º Grau; 54,17% têm o 2º Grau; 5,83% possuem o ensino Superior, e 1,50% do eleitorado se declarou analfabeto.

Quanto à renda familiar, 54,01% dos entrevistados ganham de um a três salários mínimos; 22,33% têm renda de até um salário mínimo; 15,33% declararam ter renda entre três e cinco salários mínimos; 6,50% recebem entre cinco e sete salários; 0,50% declararam não possuir renda; e apenas 1,33% ganham acima de sete salários mínimos.

Ainda dentre o universo pesquisado 72,17% são católicos; 19,16% evangélicos; e 8,67% professam outras religiões.

Comentários

comentários

Leia também

Comentários